Iniciar sessão

Navegar para Cima
Instituto de Investigação
em Vulcanologia e Avaliação de Riscos
Última hora:
  • Atividade sísmica no arquipélago dos Açores encontra-se, em geral, dentro dos níveis normais de referência



 

Vulcões Activos

 
 

 geologia dos açores

 

 Vulcão das Sete Cidades

Sumário


O Vulcão Sete Cidades fica situado na extremidade ocidental da ilha de S. Miguel e corresponde a um vulcão poligenético com caldeira. Presentemente, o interior desta é ocupado por diversas estruturas vulcânicas e quatro lagoas, duas das quais, a Lagoa Azul e a Lagoa Verde, comunicam entre si.
 
A forma quase circular da caldeira desenvolveu-se por três fases associadas a erupções paroxismais. A primeira ocorreu há cerca de 36.000 anos com o colapso do edifício principal. A segunda fase desenrolou-se há aproximadamente 29.000 anos e foi responsável pelo colapso do bordo NW do edifício, levando ao alargamento da caldeira primitiva. Há cerca de 16.000 anos teve lugar a última importante fase, marcada pelo colapso dos sectores N e NE.
 
No Vulcão das Sete Cidades ocorreram cerca de 17 erupções intracaldeira nos últimos 5.000 anos, o que o torna o vulcão central mais activo do arquipélago neste intervalo de tempo. A actividade intracaldeira tem sido essencialmente marcada por erupções traquíticas subplinianas e plinianas, algumas das quais com características hidromagmáticas. A última erupção intracaldeira data de há cerca de 500±100 anos B.P. e deu origem ao cone da Caldeira Seca.
 
Ao longo da história eruptiva deste vulcão, as erupções basálticas, com características mais efusivas ou menos explosivas, havaianas e estrombolianas, ocorreram principalmente nos seus flancos, condicionadas pelos sistemas de falhas regionais e radiais que aí existem.
 
O Vulcão Sete Cidades não tem campos fumarólicos associados, resumindo-se actualmente as manifestações secundárias às nascentes submarinas da Ponta da Ferraria e da praia dos Mosteiros e a algumas zonas de desgaseificação difusa.​

Bibliografia Recomendada


BOOTH, B., CROASDALE, R. e WALKER, G. (1978) – A quantitative study of five thousand years of volcanism on S. Miguel, Azores. Phil. Trans. R. Soc. Lond., 228, pp. 271-319.
 
MOORE, R. e RUBIN, M. (1991) – Radiocarbon dates for lava flows and piroclastic deposits on São Miguel, Azores. Radiocarbon, 33(1), pp. 151-164.
 
QUEIROZ, G. (1997) – Vulcão das Sete Cidades (S. Miguel, Açores): História eruptiva e avaliação do Hazard. Tese de doutoramento no ramo de Geologia, especialidade de Vulcanologia. Universidade dos Açores, Departamento Geociências, 226 p.
 
QUEIROZ, G., PACHECO, J.M., GASPAR, J.L., ASPINALL, W., GUEST, J.E. e FERREIRA, T. (2008) - The last 5000 years of activity at Sete Cidades volcano (S. Miguel Island, Azores): implications for hazard assessment. Journal of Volcanology and Geothermal Research, 178, pp. 562–573.​