Iniciar sessão

Navegar para Cima
Centro de Vulcanologia
e Avaliação de Riscos Geológicos
Última hora:
  • Sismo sentido na ilha de S. Miguel às 17:08 (hora local)Actividade sísmica a WNW das Sete Cidades na Fossa Hirondelle ligeiramente acima do normal Cabo Verde - A atividade vulcânica na ilha do Fogo mantém-se desde o passado dia 23 de novembroCabo Verde - Escoadas lávicas destruíram os povoados de Portela e de Bangaeira, em Chã das Caldeiras



Resumo


 

Na ilha de São Miguel individualizam-se as seguintes unidades vulcanológicas, da mais recente para a mais antiga:

 

Idade
Unidade Vulcanológica
Descrição
0 - > 31.000 anos B.P.
Sistema Vulcânico Fissural dos Picos
Corresponde à formação mais recente da ilha de S. Miguel e inclui os produtos vulcânicos gerados na sequência do vulcanismo fissural. Integra escoadas lávicas e piroclastos basálticos e ainda tufos hidromagmáticos e domos traquíticos. Apresenta duas sub-unidades: a de Ponta Delgada, de idade superior a 5.000 anos e a do Pinhal da Paz, que engloba todos os produto vulcânicos mais recentes, gerados nos últimos 5.000 anos B.P..
0 - 100.000 anos B.P.
Vulcão Furnas
Com cerca de 100.000 anos B.P. de história o Vulcão das Furnas é aparentemente o mais jovem dos vulcões activos de S. Miguel. A sua estratigrafia divide-se em três grupos constituídos essencialmente por materiais de natureza traquítica, constituindo depósitos de piroclastos de queda e de fluxo (escoadas piroclásticas e surges), resultantes de actividade explosiva. O grupo inferior inclui todos os produtos vulcânicos até à formação do Ignimbrito da Povoação datado de há cerca de 30.000 anos B.P., inclusive, constituídos por material piroclástico. O grupo Intermédio está representado por toda a actividade desenvolvida entre os 30.000 anos B.P. até ao depósito de Fogo A, há cerca de 5.000 anos B.P.. O grupo superior corresponde aos produtos resultantes de toda actividade ocorrida nos últimos 5.000 anos.
3.800 - 100.000 anos B.P.
Sistema Vulcânico Fissural do Congro
Inclui os produtos vulcânicos gerados na sequência do vulcanismo fissural, integrando escoadas lávicas e piroclastos basálticos (s.l.) e depósitos hidromagmáticos e domos traquíticos. O topo da sequência encontra-se coberto por produtos vulcânicos gerados por vulcanismo explosivo, com origem nos vulcões activos vizinhos, Água de Pau e Furnas. A erupção mais recente data de há 3.800 anos B.P..
0 - >200.000 anos B.P.
Vulcão Sete Cidades
O Vulcão Sete Cidades apresenta um esquema estratigráfico simplificado dividido em dois grupos. O Grupo Inferior inclui os depósitos mais antigos relacionados com a construção subaérea do edifício desde há mais de 200.000 anos B.P. até há cerca de 36.000 anos B.P.. Este período de actividade foi essencialmente efusivo com produção de escoadas lávicas de composição basáltica a traquítica. O Grupo Superior integra todos os produtos vulcânicos emitidos desde há 36.000 anos B.P., tendo-se iniciado com o primeiro estádio de formação da caldeira. Este grupo compreende 6 formações constituídas por produtos resultantes maioritariamente de actividade explosiva intracaldeira, de natureza traquítica, incluindo depósitos de piroclastos de queda e de fluxo, alguns resultantes de actividade hidromagmática.
0 - >200.000 anos B.P.
Vulcão Água de Pau
O Vulcão de Água de Pau apresenta uma estratigrafia muito complexa, fruto de uma actividade vulcânica diversificada desenvolvida ao longo de mais de 200.000 anos B.P.. A história evolutiva encontra-se dividida em dois grupos. O Grupo Inferior engloba os materiais mais antigos representados por escoadas lávicas e depósitos piroclásticos traquíticos. O Grupo Superior compreende os produtos vulcânicos emitidos nos últimos 40.000 anos. Consistem essencialmente em depósitos piroclásticos de queda e de fluxo de composição traquítica (escoadas piroclásticas e surges), depósitos epiclásticos (escoadas de lama) com algumas escoadas lávicas e piroclastos de natureza basáltica intercalados. Entre os vários depósitos o Fogo A, datado de há cerca de 5.000 anos, corresponde a um excelente nível estratigráfico para a ilha de S. Miguel.
0.1 ? – 0.95 ? M.a
Complexo Vulcânico da Povoação
Integra os produtos vulcânicos emitidos pelo Vulcão da Povoação que imediatamente se sobrepõem aos do Complexo Vulcânico do Nordeste. Correspondem a escoadas lávicas predominantemente basálticas e produtos vulcaniclásticos. O topo da sequência encontra-se coberto por produtos vulcânicos gerados por vulcanismo explosivo, com origem nos vulcões activos situados a Oeste, principalmente no Vulcão das Furnas.
0.95 - 4.01 M.a
Complexo Vulcânico do Nordeste
O Complexo Vulcânico do Nordeste compreende os produtos vulcânicos mais antigos da ilha de S. Miguel, gerados no decurso de actividade vulcânica essencialmente efusiva, fissural. É constituído por espessas sequências de escoadas lávicas predominantemente basálticas (s.l.) atingem mais de 1.100 metros de espessura, onde ocorrem alguns termos com composição traquítica e depósitos de escórias intercalados. Neste complexo foram identificadas quatro formações resultantes de vulcanismo subaéreo designadas, da mais antiga para a mais recente, Basaltos Inferiores, Ancaramitos, Basaltos Superiores e Traquibasaltos e Tristanitos. Esta sequência apresenta no seu topo produtos vulcânicos gerados por vulcanismo explosivo com origem nos vulcões activos situados a Oeste.

  

Bibliografia Recomendada


ABDEL-MONEM, A.A., FERNANDEZ, L.A. e BOONE, G.M. (1975) – K-Ar ages from the eastern Azores group (Santa Maria, São Miguel and the Formigas Islands). Lithos, 8, pp. 247-254.

FERREIRA, T. (2000) – Caracterização da actividade vulcânica da ilha de S. Miguel (Açores): vulcanismo basáltico recente e zonas de desgaseificação. Avaliação de riscos. Tese de Doutoramento no ramo de Geologia, especialidade de Vulcanologia. Universidade dos Açores, Departamento de Geociências, 248 p.

GUEST, J.E., GASPAR J.L., COLE P.D., QUEIROZ G., DUNCAN, A.M., WALLENSTEIN, N., FERREIRA, T. and PACHECO, J.M. (1999) – Volcanic geology of Furnas Volcano, São Miguel, Azores. Journal of Volcanology and Geothermal Research, 92, pp. 1-29.

MOORE, R.B. (1990) – Volcanic geology and eruption frequency, São Miguel, Azores. Bulletin of Volcanology, 52, pp. 602-614.

MOORE, R.B. (1991) – Geologic Map of São Miguel, Azores. U.S.G.S. Miscellaneous investigations series, map I-2007.

QUEIROZ, G. (1997) – Vulcão das Sete Cidades (S. Miguel, Açores): História eruptiva e avaliação do Hazard. Tese de doutoramento no ramo de Geologia, especialidade de Vulcanologia. Universidade dos Açores, Departamento de Geociências, 226 p.

QUEIROZ, G., PACHECO, J.M., GASPAR, J.L., ASPINALL, W., GUEST, J.E., FERREIRA, T. (2008) - The last 5000 years of activity at Sete Cidades volcano (S. Miguel Island, Azores): implications for hazard assessment. Journal of Volcanology and Geothermal Research, 178, pp. 562–573.

WALLENSTEIN, N. (1999) – Estudo da história eruptiva recente e do comportamento eruptivo do vulcão do Fogo (S. Miguel, Açores). Avaliação preliminar do hazard. Tese de doutoramento no ramo de Geologia, especialidade de Vulcanologia. Universidade dos Açores, Departamento de Geociências, 266 p.

ZBYSZEWSKY, G., MOITINHO DE ALMEIDA, F., VEIGA FERREIRA, O. e TORRE DE ASSUNÇÃO (1958) – Notícia explicativa da Folha “B”, da ilha S. Miguel (Açores) da Carta Geológica de Portugal na escala 1:50000. Publ. Serviços Geológicos de Portugal, Lisboa, 37 p.