Iniciar sessão

Navegar para Cima
Instituto de Investigação
em Vulcanologia e Avaliação de Riscos
Última hora:
  • Sismo de magnitude 1,5 sentido com intensidade III na ilha de S. MiguelSismo de magnitude 2,0 sentido com intensidade IV na ilha de S. MiguelAtividade sísmica no arquipélago dos Açores encontra-se, em geral, dentro dos níveis normais de referência



Artigos em livros de actas ► Nacionais

 

Referência Bibliográfica


PACHECO, P., MARQUES, R., SILVA, R.F. (2017) - Relação entre a cinemática de um movimento de vertente na Maia (ilha de Santa Maria, Açores) e a precipitação. Actas do VIII Congresso Nacional de Geomorfologia, Porto, 6 e 7 de outubro.

Resumo


​A instrumentação é uma ferramenta essencial para a correta interpretação e determinação de vários parâmetros que caracterizam um movimento de vertente, tais como: a magnitude, a taxa de deformação, a direção de movimento, a profundidade da superfície de rotura e o tipo de movimento de vertente. A monitorização com recurso a instrumentação possibilita a identificação das causas que levaram à ocorrência do movimento de vertente, o seu comportamento e, posteriormente, informação para a implementação de medidas de mitigação do risco através de, por exemplo, medidas de estabilização do movimento de vertente.

Este trabalho apresenta um caso de estudo sobre a monitorização de um movimento de vertente, do tipo deslizamento, no lugar da Maia (ilha de Santa Maria, Açores), desencadeado em março de 2010, no seguimento de um outono e inverno extremamente chuvosos. Desta ocorrência resultaram danos em 10 edifícios habitacionais, na rede de abastecimento de água e de eletricidade e na única via de acesso ao local.

A monitorização cinemática do depósito de vertente é feita com recurso a uma estação total, sendo os dados obtidos para a deformação superficial do depósito, posteriormente relacionados com os dados da precipitação, obtidos através de uma estação meteorológica automática instalada no topo da arriba fóssil.

Observações


Anexos