Iniciar sessão

Navegar para Cima
Instituto de Investigação
em Vulcanologia e Avaliação de Riscos
Última hora:



Painéis ► em encontros internacionais

 

Referência Bibliográfica


GASPAR, J.L., SENOS, M.L., QUEIROZ, G., CARRILHO, F., FERREIRA, T., ALVES, P. (1998) - SIVISA - Azores Seismological Surveillance System . "1ª Assembleia Luso-Espanhola de Geodesia e Geofísica, Sessão S05 - Detecção e tratamento de sinais sísmicos". Espanha, Almeria, Fevereiro (Poster).

Resumo


Localizada na zona de junção das placas litosféricas americana, eurasiática e africana, onde se intersectam a Crista Médio-Atlântica e o complexo sistema de fracturas que define o designado Rift da Terceira,  a região dos Açores tem sido palco de uma significativa actividade sismovulcânica ao longo da sua História. A recente erupção do Vulcão dos Capelinhos, na ilha do Faial, em 1957/58, e o terramoto de 1 de Janeiro de 1980, com epicentro no grupo central entre as ilhas Terceira, S.Jorge e Graciosa assim o demonstram.
 
Tendo como objectivos indissociáveis o aprofundar do conhecimento no domínio da dinâmica do globo terrestre e o melhorar da capacidade de resposta às autoridades locais na eventualidade de situações que assim o determinem, o Instituto de Meteorologia e a Universidade dos Açores decidiram criar o Sistema de Vigilância Sismológica dos Açores (SIVISA), rendibilizando os meios técnicos e humanos de ambas as instituições. Tal atitude envolveu a fusão das duas redes analógicas existentes no arquipélago, sendo a Rede Sismológica Regional presentemente constituída por 28 estações operadas a partir dos observatórios localizados nas ilhas do Faial (1), Terceira (1) e S.Miguel (2). No Centro de Coordenação do SIVISA, situado na ilha de S.Miguel, são compilados, tratados e armazenados todos os dados obtidos, posteriormente disponibilizados através da publicação de boletins mensais. 
    
Actualmente está em curso o processo de digitalização do sinal das estações analógicas e encontra-se em fase de aquisição uma Rede Digital composta por doze estações que o Instituto de Meteorologia prevê instalar, de modo gradual, até ao ano 2000. Paralelamente estão em preparação diferentes projectos de investigação dirigidos para a implementação de estações sísmicas submarinas e a constituição de Redes Sismológicas Locais.​

Observações


Anexos