Iniciar sessão

Navegar para Cima
Instituto de Investigação
em Vulcanologia e Avaliação de Riscos
Última hora:



Artigos em livros de actas ► Nacionais

 

Referência Bibliográfica


CRUZ, J.V. (2006) – Água termais e minerais dos Açores. Enquadramento hidrogeológico e caracterização geoquímica. Resumos, Termalia´06 - Encontro Científico Sobre Águas Termais, Universidade do Minho, Braga, pp. 13-14.

Resumo


Nos Açores ocorrem numerosas nascentes de águas minerais, na maioria gasocarbónicas, e termais, o que está indubitavelmente associado à origem vulcânica do arquipélago. A primeira referência a estas águas, e à respectiva utilização terapêutica, data de 1583, na crónica “Saudades da Terra”. Em 1791 foram publicadas num jornal médico escocês as primeiras análises clínicas relativas a emergências localizadas nos Açores mas unicamente no final do século XIX surgiu aquele que pode ser considerado o primeiro trabalho com uma extensa recolha de dados analítico, nomeadamente sobre amostras da ilha de São Miguel. Dos estabelecimentos termais entretanto edificados muitos encontram-se actualmente abandonados ou com utilização restrita, embora actualmente estejam a ser envidados esforços de relançamento da actividade.
 
As emergências localizam-se nas ilhas de São Miguel, Terceira, São Jorge, Pico, Faial, Graciosa e Flores, na maioria em vulcões activos, e apresentam uma variedade de tipos químicos e de magnitude de mineralização. As águas emergem a partir de aquíferos de altitude, são de origem meteórica, e durante o seu escoamento subterrâneo o quimismo é influenciado pela absorção de voláteis, por um limitado grau de interacção água-rocha e, nalguns casos, por processos de mistura de águas frias com águas termais. Relativamente aos pontos de água localizados em aquíferos de base a mistura com sais de origem marinha é um dos principais processos modificadores da composição das águas.

Observações


Anexos