Iniciar sessão

Navegar para Cima
Instituto de Investigação
em Vulcanologia e Avaliação de Riscos
Última hora:



Mundo ► Fenómenos Naturais

Destruição causada pelo sismo de magnitude 5,4 que afetou, no dia 22 de março, a Croácia (Foto: Darko Bandic / AP)
22-03-2020 16:50
Croácia
Sismo de magnitude 5,4 causa danos na Croácia

​Um sismo de magnitude 5,4 afetou hoje, dia 22 de março, a Croácia. Segundo o European-Mediterranean Seismological Centre, o sismo ocorreu às 06:24 (hora local, 05:24 UTC), e localizou-se a 7 km a NE da capital, Zagreb, e a 5 km a S de Kašina, a uma profundidade de 10 km.
 
Para além do pânico na população, há registo de vários danos severos na capital, incluindo a icónica catedral, e a ocorrência de diversos incêndios. Muitos prédios ficaram com as paredes fissuradas e os telhados danificados. As ruas do centro estavam cheias de escombros. Na parte interna das residências, os moradores partilharam fotos de objetos que caíram de prateleiras, garrafas quebradas e vidro. Os Hospitais tiveram de ser evacuados. Até ao momento há registo de pelo menos 17 feridos.
 
Num país que lida igualmente com a pandemia do novo coronavírus, o governo pediu à população da capital para se manter fora de casa, mas respeitando a distância social necessária para evitar o contágio da doença. O ministro do Interior Davor Bozinovic sublinha que existem protocolos perante um sismo, mas quando um sismo ocorre combinado com uma pandemia global, a situação torna-se muito mais complicada.
 
Na Eslovénia, onde o sismo também foi sentido com intensidade, há registo de danos ligeiros e de algum pânico. Perante alguns rumores, o Governo de Ljubljana fez questão de informar que não há quaisquer danos na única central nuclear do país.
 
Após o sismo principal, que foi sentido em vários países vizinhos, como Bósnia, Sérvia, Hungria, Eslováquia, Áustria e Itália, já se registaram várias réplicas, tendo a mais energética atingido magnitude 5,0.
 
Segundo o primeiro-ministro, Andrej Plenkovic, este sismo é o maior em Zagreb nos últimos 140 anos.


Fontes


The New York Times
NBC News
Público

Informação Relacionada


Imagens Adicionais


Anexos



Notícias Relacionadas