Iniciar sessão

Navegar para Cima
Instituto de Investigação
em Vulcanologia e Avaliação de Riscos
Última hora:



Bolsas de Doutoramento

Morro das Pedra (ilha Brava - Cabo Verde)

Avaliação dos Perigos Geológicos na ilha Brava (Cabo Verde): Implicações no Planeamento de Emergência

Resumo


 
O arquipélago de Cabo Verde, situado no Atlântico Central ao largo da costa da África Ocidental, é formado por dez ilhas de origem vulcânica, dispostas em arco com abertura para oeste e divididas geograficamente em dois grupos. A norte, o grupo Barlavento é formado, de oeste para leste, pelas ilhas Santo Antão, São Vicente, Santa Luzia, São Nicolau, Sal e Boa Vista. A sul, o grupo Sotavento compreende, de leste para oeste, as ilhas Maio, Santiago, Fogo e Brava. As ilhas de Cabo Verde representam a expressão superficial de um enorme planalto submarino que se eleva a cerca de 5 km da planície abissal entre a plataforma continental do Senegal e a Crista Média Atlântica. Do ponto de vista geodinâmico este arquipélago situa-se num ambiente intraplaca, estável, marcado pela presença de uma pluma mantélica ou de outros processos mantélicos profundos, cuja acção à superfície se manifesta pela actividade sísmica e vulcânica que afecta algumas das ilhas, em particular as do Fogo e Brava.
 
A ilha Brava apresenta uma área de 64 km2 e quase 6000 habitantes. É nesta ilha que a actividade sísmica se tem revelado ser mais importante, caracterizando-se principalmente pela ocorrência de crises sísmicas. De entre as mais recentes destacam-se a crise desenvolvida entre Dezembro de 1980 e Maio de 1981, também sentida na ilha do Fogo, em que a intensidade máxima observada na Brava foi de grau VII na escala de Mercalli Modificada, e as crises de Junho de 2006 e Janeiro de 2007. Também a actividade sísmica associada às erupções de 1951 e 1995 na ilha do Fogo foi sentida na Brava. A inexistência de uma rede sísmica com uma cobertura suficiente impede que exista um conhecimento adequado sobre a localização das principais áreas sismogénicas. A caracterização do perigo sísmico na ilha Brava decorrerá da análise da informação disponível sobre os eventos sísmicos que a afectaram ao longo dos tempos, com base na compilação e análise das principais referências bibliográficas e documentos históricos. Deste modo, procurar-se-á: (1) avaliar o impacte dos eventos sísmicos que atingiram a ilha, quer de natureza tectónica quer associados a fenómenos de origem vulcânica, procedendo-se à construção e/ou revisão dos dados de macrossísmica existentes; (2) integrar toda a informação obtida no sentido de se elaborar uma carta de intensidades máximas históricas para a ilha Brava; e (3) detectar, caracterizar e interpretar eventuais anomalias sísmicas.
 
Apesar de na ilha Brava não se ter registado qualquer erupção vulcânica histórica (desde início do séc. XVI, data do seu povoamento), é possível identificar a existência de produtos vulcânicos recentes, possivelmente holocénicos, bem como de alguns cones de escória posteriores, indicando que alguns dos sistemas vulcânicos presentes se encontram ainda activos. Este aspecto, aliado ao facto de alguns destes depósitos testemunharem a ocorrência de erupções explosivas (plinianas), aponta para a existência de um perigo vulcânico significativo. A análise da actividade vulcânica na ilha em causa será efectuada com base em pesquisa bibliográfica e levantamentos de campo. Neste contexto, o trabalho a realizar inclui-se no domínio da predição específica, pretendendo: (1) definir os diferentes estilos eruptivos que marcaram a história geológica da ilha; e (2) caracterizar os tipos de perigos vulcânicos - escoadas lávicas, piroclastos de queda; piroclastos de fluxo, lahars e gases vulcânicos.
 
Outro perigo geológico existente nesta ilha é o de movimentos de vertente, desencadeados em resultado da actividade sísmica ou vulcânica, ou na sequência de precipitação intensa, devendo a sua avaliação ser também integrada em termos de uma abordagem de multi-perigos. A caracterização do perigo de movimentos de vertente na ilha Brava será efectuada com base na análise bibliográfica e de fotografias aéreas, bem como em trabalhos de campo, pretendendo-se: (1) identificar ocorrências históricas; (2) cartografar os movimentos de vertente e (3) elaborar o respectivo mapa.
 
É neste contexto que se inserem os trabalhos que se pretendem desenvolver para a realização da presente tese de doutoramento. Na medida em que os fenómenos geológicos abordados - sismos, erupções vulcânicas e movimentos de vertente, ocorrem frequentemente associados no tempo e no espaço, podendo uns actuar como mecanismos desencadeantes dos outros, é importante a integração dos dados obtidos para cada um dos temas na perspectiva de futura análise multi-perigos. Nesse contexto, pretende-se desenvolver uma base de dados em SIG que permita o armazenamento da informação recolhida ao longo do trabalho numa mesma plataforma informática. Com tal abordagem pretende-se contribuir para a criação de um instrumento fundamental para o planeamento, nomeadamente na elaboração de planos de emergência.

Ficha de Projecto


Bolsa Doutoramento DRCT
Avaliação dos Perigos Geológicos na ilha Brava (Cabo Verde): Implicações no Planeamento de Emergência.
Bolseiro: Vera Alfama
Entidade financiadora: FRCT
Contrato nº: M3.1.2/CV/004/2008 
Progama: Plano Integrado para a Ciência, Tecnologia e Inovação (PICTI)
Sub-programa: 2.1.2 - Projectos de investigação científica e tecnológica em domínios específicos, Protocolo de Cooperação entre o Governo dos Açores e o Governo da República de Cabo Verde.
Duração: 2009 - 2013
Data de Início

 
Data de Encerramento

 

Anexos


Unidades Científicas


Unidades Científicas Operacionais