Iniciar sessão

Navegar para Cima
Instituto de Investigação
em Vulcanologia e Avaliação de Riscos
Última hora:



Bolsas de Doutoramento

Vulcão do Fogo (Cabo Verde)

Avaliação dos perigos geológicos na Ilha do Fogo: Implicações no Planeamento de Emergência

Resumo


O arquipélago de Cabo Verde, situado no Atlântico Central ao largo da costa da África Ocidental, é formado por dez ilhas de origem vulcânica, dispostas em arco com abertura para oeste e divididas geograficamente em dois grupos. A norte, o grupo Barlavento é formado, de oeste para leste, pelas ilhas Santo Antão, São Vicente, Santa Luzia, São Nicolau, Sal e Boa Vista. A sul, o grupo Sotavento compreende, de leste para oeste, as ilhas Maio, Santiago, Fogo e Brava.
 
As ilhas de Cabo Verde representam a expressão superficial de um enorme planalto submarino que se eleva a cerca de 5 km da planície abissal entre a plataforma continental do Senegal e a Crista Média Atlântica. Do ponto de vista geodinâmico este arquipélago situa-se num ambiente intraplaca, estável, marcado pela presença de uma pluma mantélica ou de outros processos mantélicos profundos, cuja acção à superfície se manifesta pela actividade sísmica e vulcânica que afecta algumas das ilhas, em particular as do Fogo e Brava.
 
A ilha do Fogo apresenta uma área de 476 km2 e quase 38 000 habitantes. Inicialmente denominada por S. Filipe, esta ilha deve o seu nome à actividade vulcânica registada logo após o seu descobrimento, no séc. XV, a qual se admite tenha sido praticamente contínua até ao séc. XVIII (Machado, 1965). Os episódios mais recentes correspondem às erupções iniciadas a 12 de Junho de 1951 e a 2 de Abril de 1995. Em termos globais estes eventos foram de natureza basáltica gerados no interior da caldeira onde se situa e domina o imponente vulcão central, Vulcão do Pico (Gaspar et al., 1997). A erupção de 1995 obrigou à evacuação inicial de cerca de 1000 pessoas, dando origem a uma importante operação de protecção civil através da criação de diversos centros de acolhimento. Verifica-se assim que a ilha do Fogo comporta um elevado perigo vulcânico que importa avaliar. Porém, para além deste perigo, outros perigos geológicos como os sismos e movimentos de vertente são actuantes nesta ilha, associados ou não à actividade vulcânica, devendo, por conseguinte, a sua avaliação ser também efectuada em termos de uma abordagem de multi-perigos. É neste contexto que se inserem os trabalhos que se pretendem desenvolver para a realização da presente tese de doutoramento.
 
No presente projecto serão analisados os perigos sísmicos, vulcânicos e de movimentos de vertente. Na medida em que os fenómenos geológicos abordados ocorrem, frequentemente, associados no tempo e no espaço, podendo uns actuar como mecanismos desencadeantes dos outros, é importante a integração dos dados obtidos para cada um dos temas na perspectiva de uma futura análise multi-perigos. Nesse contexto, pretende-se desenvolver uma base de dados em SIG que permita o armazenamento da informação recolhida ao longo do trabalho numa mesma plataforma informática. Com tal abordagem pretende-se contribuir para a criação de um instrumento fundamental para o planeamento, nomeadamente na elaboração de planos de emergência.

Ficha de Projecto


Bolsa doutoramento FRCT
Avaliação dos perigos geológicos na Ilha do Fogo: Implicações no Planeamento de Emergência
Bolseiro: Jeremias Alves Cabral
Entidade Financiadora: FRCT
Contrato nº: M3.1.2/CV/003/2008
Programa: Plano Integrado para Ciência, Tecnologia e Inovação (PICTI)
Sub-programa: Medida 3.1.2 - Bolsas individuais de investigação científica e tecnologia - Bolsas de doutoramento para República de Cabo Verde.
Duração: 2009 - 2013
Data de Início

 
Data de Encerramento

 

Anexos


Unidades Científicas


Unidades Científicas Operacionais